Manipulação Cosmética | ONLINE

image
A ciência da cosmetologia aplicada a técnicas de manipulação em bancada e soluções de farmacotécnica para problemas de rotina.
  • Coordenação

    Lucas Portilho
  • Tipo do Curso

    Cursos Modulares
  • Avaliação

Teaser
Descrição
Ênfase de manipulação e química cosmética pra soluções de problemas frequentes
Objetiva elucidar desde as bases químicas e justificativas cientificas das decisões tomadas para manipular um cosmético de qualidade além de técnicas práticas de bancada para solucionar problemas triviais.


Objetivo
O curso consiste em habilitar você a dominar a manipulação cosmética com conteúdo teórico e prático unidos para resolução das dificuldades em laboratório.

Público-Alvo

Farmacêuticos;

Químicos;

Engenheiros Químicos.

Exclusividade
Conteúdo Programático
Módulo 1 - QUÍMICA COSMÉTICA E FARMACOTÉCNICA
Introdução e análise de compostos orgânicos e inorgânicos
Teoria em ionização e estrutura molecular
Sistemas micelares e coloidais
Conceitos em química e polaridade e solubilidade das moléculas
Reações químicas: Oxidação, hidrólise, saturação
Química cosmética: Tensoativos aniônicos, catiônicos, anfóteros e não iônicos
Química cosmética: Água deionizada, de osmose reversa, destilada e potável
Química cosmética: Emolientes esterificados e silicones 
Química cosmética: Quelantes e em quais meios devem ser aplicados
Química cosmética: Agentes poliméricos e modificadores de reologia
Química cosmética: Ceras e manteigas
Química cosmética: Antioxidantes e suas reações adversas
Química cosmética: Compreendendo os conservantes
Fatores de evidenciam ação de moléculas fotoprotetoras
Reações de etoxilação e propoxilação
Introdução a farmacotécnica
Técnicas de manipulação de formulação 
Sequência de adição de ativos na formulação
Concepções cosméticas em temperatura e agitação
Evitando instabilidade e decomposição
Técnicas de envase e correlação de viscosidade e embalagem
Equipamentos e manipulação de materiais e utensílios em laboratório
Evitando adição de compostos em fases inadequadas
Evitando escolhas inadequadas que desestruturam a formulação

Módulo 2 - MANIPULANDO EMULSÕES E GÉIS
Introdução a manipulação de cremes e géis
Desenvolvimento e estabilização de emulsões
Uso prático dos emulsionantes e agentes geleificantes
Escolha do geleificante e ideal 
Acerto de viscosidade do produto
Microscopia de emulsões cosméticas e estabilidade
Desenvolvimento de formulações emulsionadas
Pontos críticos na estabilização de emulsões
Análise de sensorial do produto
Obtenção de sensoriais diferenciados para cada público alvo
Formulando emulsões com sensorial de luxo
Aplicação prática de agentes modificadores de sensorial
Aplicação prática dos novos ésteres modificadores de sensorial
Quantidades inadequadas de emulsionantes em relação a fase oleosa
Evitando a separação de fase do produto
Evitando a quebra de formulas por eletrólitos e extremos de pH
Manipulação prática de cremes e géis
Estudo de desenvolvimento com formulação base e exemplos

Módulo 3: Shampoos E Sistemas De Limpeza
Composição e estrutura capilar;
Relação entre cutícula e pH;
Ciclo dos cabelos;
Classificações dos principais tipos de cabelos;
Tipos de shampoos;
Apelo de marketing de shampoos sem sal;
Ingredientes básicos nas formulações de shampoos:
- Tensoativos aniônicos, anfótero e não-iônicos;
- Agentes espessantes;
- Agentes perolizantes e opacificantes;
- Agentes suavizantes;
- Sequestrantes ou quelantes;
- Conservantes;
- Fragrância;
- Corretores de pH;
- Corantes.
Formulações específicas para cada tipo de cabelo:
- Shampoo antirresiduos;
- Shampoo para cabelos oleosos, normais e secos;
- Shampoo sem sufato;
- Shampoo a seco;
- Shampoo para cabelos loiros, grisalhos ou descoloridos.
Tipos e mecanismos de ação dos condicionadores;
Ingredientes básicos nas formulações de condicionadores:
- Tensoativos catiônicos;
- Umectantes;
- Agentes de consistência;
- Antioxidantes;
- Emolientes - óleos vegetais, manteigas vegetais, petrolatos e ésteres;
- Silicones - emulsão de silicone, microemulsão de amodimeticone;
- Agentes suavizantes.
Condicionadores leave in & leave on e máscaras e ampolas capilares;
Formulação de condicionador, máscara e ampola;
Condicionadores para definição de cachos;
Formulação de condicionador leave in para cachos;
Proteção UV da haste capilar;
Formulação de condicionador leave in protetor UV;
Danos causados pela exposição ao calor;
Proteção térmica - silicones e polímeros;
Formulação de condicionador leave in protetor térmico;
Finalizadores e styling capilares:
- Blend de silicones;
- Reparador de pontas;
- Spray de brilho;
- Pomadas - anidras e emulsões;
- Géis.
Formulação de spray de brilho, sérum reparador e gel capilar;
Tônicos capilares;

Módulo 4 - MANIPULANDO COSMÉTICOS ANTI AGINGS E PEELINGS
Introdução a manipulação de peelings e cosméticos anti aging
Desenvolvimento e estabilização de peelings
Uso prático de ácidos
Escolha do ácido ideal
Acerto de viscosidade, separação de ácidos, controle de pH na formulação final
Desenvolvimento de formulações estáveis
Pontos críticos na estabilização de peelings
Formulando peelings
Evitando a separação de fase do produto
Evitando a quebra de formulas por eletrólitos e extremos de pH
Incorporação de ativos anti aging
Correção de sensorial 
Vantagens e desvantagens dos principais ácidos
Manipulação prática de peelings
Estudo de desenvolvimento com formulação base e exemplos

Módulo 5 - MANIPULANDO FOTOPROTETORES
Introdução a manipulação de fotoprotetores
Desenvolvimento e estabilização de emulsões
Uso prático dos emulsionantes e filtros orgânicos e inorgânicos
Escolha do filtro solar ideal
Pontos críticos na estabilização de fotoprotetores
Solubilização correta de ativos em forma sólida
Obtenção de sensoriais diferenciados 
Formulando fotoprotetores com sensorial variado
Como regular o PPD do fototoprotetor
Evitando a separação de fase do produto
Evitando a quebra de formulas por excesso de carga oleosa
Evitando sensorial oleoso
Vantagens e desvantagens dos principais ativos fotoprotetores
Manipulação prática de fotoprotetores
Estudo de desenvolvimento com formulação base e exemplos
Entendendo os principais ingredientes de fotoprotetores
Melhores sistemas emulsionantes para fotoprotetores
Como funcionam os produtos de resistências à água e produtos de alta performance
Compreendendo filtros absorvedores UVA e UVB
Parâmetros de eficácia de proteção anti-UVA e anti-UVB
Como são feitos os testes de eficácia de fotoprotetores 
Cálculo prático de custos e viabilidade
Formulando filtros solares com base corretiva

Módulo 6 - MANIPULANDO HIDRATANTES E CLAREADORES
Introdução a manipulação de cremes hidratantes e clareadores
Desenvolvimento e estabilização de emulsões clareadoras
Uso prático dos ativos despigmentantes
Escolha do despigmentante ideal
Pontos críticos na estabilização de despigmentantes
Solubilização correta de ativos clareadores
Obtenção de sensoriais diferenciados 
Evitando a oxidação e mudança de cor
Evitando a quebra de formulas 
Vantagens e desvantagens dos principais despigmentantes
Manipulação prática de hidratantes e despigmentantes
Estudo de desenvolvimento com formulação base e exemplos
Conhecendo os principais ativos hidratantes
Como sua formulação hidratante não seja comedogênica
Melhorando o sensorial pegajoso dos hidratantes
Ativos hipoalérgicos para hidratantes
Conhecendo os métodos de eficácia de produtos hidratantes e como melhor a efetividade desses testes
Melhores emulsionantes para clareadores
Clareadores com mais de um ativo, como estabilizá-los
Cuidados na farmacotécnica de produtos clareadores
Conhecendo os principais ativos clareadores

Módulo 7 - MANIPULANDO MAQUIAGENS
Introdução a manipulação de maquiagens
Processos de desenvolvimento de coloração e replicação
Uso prático dos pigmentos e micas perolizantes
Escolha do pigmento ideal e processo de cobertura
Processo de dispersão de pigmento
Obtenção de cobertura diferenciada 
Como regular viscosidade, dureza, dispersão e friabilidade
Evitando a separação de fase do produto
Evitando a quebra de formulas por falta de emulsionante
Evitando sensorial pesado
Vantagens e Desvantagens dos principais pigmentos
Manipulação prática de maquiagens
Estudo de desenvolvimento com formulação base e exemplos
Conceitos básicos de colorometria 
- Formulações de Batons 
- Formulações de Pan Cakes 
- Formulações de Base Corretiva
- Formulações de Brilho labial
- Formulações de Blur 
- Formulações de Demaquilantes 

Módulo 8 - MANIPULANDO FORMULAÇÕES PARA PET
Introdução as bases de consumo de gatos e cachorros
Conceitos básicos sobre a anatosiofiologia dos cães e gatos
Meios emulsionados para PET
Introdução a farmacotécnica PET
Técnicas de manipulação de formulação 
- Shampoos para cães e gatos
- Condicionadores e máscaras hidratantes para cães e gatos
- Cremes hidratantes para áreas lambíveis e não lambíveis
- Cosméticos para cães idosos 
Sequência de adição de ativos na formulação
Concepções cosméticas em temperatura e agitação
Evitando instabilidade e decomposição
Evitando adição de compostos em fases inadequadas
Dicas práticas para a administração de medicamento para uso veterinário 

Módulo 09 - MANIPULANDO COSMÉTICOS ORGÂNICOS
Conceitos básicos para formulações green concept
Introdução ao conceito “Green Concept”
Características da classificação Ecocert
Características da classificação IBD
Explicações sobre cosméticos naturais, orgânicos e veganos
Diferenciando mitos vs verdades
Como diferenciar seu produto green concept
Opções para substituir os etoxilados
Opções para substituir o uso do propilenoglicol
Opções para substituir os parabenos e liberadores de formol
Sistemas “Preservative Free”
Formulando cosméticos green concept com sensorial agradável
Matérias primas ecocert
Absorção sistêmica em humanos
Corantes, pigmentos e fragrâncias
Produto com ingredientes orgânicos
Produto naturais

Módulo 10: Desodorantes e Antitranspirantes
Fisiologia da sudorese;
Fatores que influenciam na transpiração;
Glândulas sudoríparas responsáveis pela excreção do suor;
Glândula écrina - composição do suor, regeneração e hidratação cutânea;
Mecanismo de secreção sudoral écrina e sua função;
Mecanismo de secreção térmica vs estresse;
Glândulas apócrinas e o suor;
Bactérias envolvidas na produção de mal odor;
Disfunção das glândulas – hipoidrose e hiperidrose;
Tratamentos para hiperidrose – micro-ondas e iontoforese;
Tratamentos cosméticos para hiperidrose;
Complicações da hiperidrose – intertrigo, micoses e miliária;
Suor e odor corporal;
Depilação das axilas e o pH;
História dos desodorantes e antitranspirantes;
Desodorantes e antitranspirantes no mercado internacional;
Definição e mecanismos de antitranspirantes;
Tipos de alumínio;
Alumínio e câncer - restrições;
Claim aluminum-free;
Definição e mecanismos de desodorantes;
Substâncias cadastradas com ação desodorante;
Triclosan – mecanismo de ação, comprovação científica e considerações do SCCP Europeu;
Substitutos vegetais ao triclosan e outros agentes;
Formulação de desodorante de bicarbonato de sódio com glicerol;
Modulação de microrganismos;
Principais produtos do mercado e claims;
Processo de envase de aerossol convencional;
Função dos ingredientes e formulação de aerossol;
Rollo on;
Antitranspirantes redutores de crescimento de pelos;
Antitranspirantes para os pés;
O uso de óleos vegetais e glicerina em antitranspirantes e desodorantes;
Processo inflamatório - axilas manchadas e ásperas;
Uso de niacinamida no tratamento da hiperpigmentação axilar;
Peeling home care seguro para axilas;
Conceito invisible;
Produtos reclamados;
Antitranspirantes dermatológicos;
Desodorantes aluminum free;
Cosmetotécnica de desodorantes e antitranspirantes:
- Emulsionantes;
- Geleificantes.
Formulações de desodorantes e antitranspirantes;
Teste de desodorantes e de eficácia de antiperspirantes.


Gostaria adquirir o curso ou solicitar mais informações?

Selecione "Quero mais informações" para receber um contato de nossa equipe comercial

Selecione "Quero me inscrever" para adquirir este curso em nossa loja

Coordenador
image

Lucas Portilho

image

Lucas Portilho

Professor
image

Lucas Portilho

image

Lucas Portilho

** Atenção: Os conteúdos e as datas dos cursos podem ser alterados a qualquer momento a critério da coordenação acadêmica em função de necessidade e aprimoramentos sem prejuízos.